A maior mancha do concelho de Mafra foi criada por D. João V há mais de 270 anos na sequência da construção do Palácio de Mafra, que lhe é contíguo. Conhecida na altura como Tapada Real de Mafra, esta zona tinha um muro de pedra e cal com a extensão de 21 quilómetros e destinava-se à prática de caça pela nobreza. As primeiras caçadas reais de que há notícia aconteceram a 5 e 6 de outubro de 1750, com a participação de D. José I. Durante os reinados seguintes, a Tapada Real conheceu o seu período áureo como Parque de Caça, mas, com a implantação da República, deixou de ser de domínio privado e passou a denominar-se Tapada Nacional de Mafra, até aos dias de hoje.

A apenas 30 minutos de Lisboa, a Tapada é um “laboratório vivo” onde os visitantes e amantes da natureza podem descobrir ecossistemas de elevada diversidade biológica, sendo o espaço ideal para passear com a família e amigos, para conhecer animais, como veados, gamos e javalis, e para se envolver com a natureza. Os visitantes têm à sua disposição um património natural e ambiental único, mas também os Museus da Caça e dos Carros de Tração Animal.

Na Tapada é possível realizar passeios de comboio turístico, percursos pedestres de quatro a oito quilómetros, percursos BTT, passeios de charrete, tiro com arco, passeios e atividades de cavalo, atividades de falcoaria e ainda experiências apícolas.