Rota dos Frutos Secos

Cada português consome em média quatro quilos de frutos secos por ano, de acordo com dados do projeto “Portugal Nuts”, elaborado pelo Centro Nacional de Competências dos Frutos Secos. Este valor ainda está abaixo do recomendado pela Organização Mundial de Saúde, apesar de Portugal ser um país onde se produz frutos secos de elevada qualidade. De facto, esta qualidade já foi atestada pela União Europeia e são seis os produtos e subprodutos desta fileira certificados, nomeadamente a Amêndoa Coberta de Moncorvo IGP, a Castanha dos Soutos da Lapa DOP, a Amêndoa Douro DOP, a Castanha de Marvão-Portalegre DOP, a Castanha da Terra Fria DOP e a Castanha da Padrela DOP.

Além destas certificações, em Portugal são produzidos outros frutos secos com elevada importância em termos económicos, mas também com um papel importante nas tradições gastronómicas e culturais das regiões, como por exemplo a alfarroba, cuja produção se cinge maioritariamente ao Algarve, o figo seco de Torres Novas, a avelã (com produção essencialmente na região de Viseu), as passas de uva da Amareleja, o pinhão de Alcácer do Sal e a noz, que se produz principalmente na região de Bragança.

1 – Amêndoa Coberta de Moncorvo IGP
2 – Castanha dos Soutos da Lapa DOP
3 – Amêndoa Douro DOP
4 – Castanha Marvão-Portalegre DOP
5 – Castanha da Terra Fria DOP
6 – Castanha da Padrela DOP
7 – Amêndoa do Algarve
8 – Alfarroba
9 – Figo Seco de Torres Novas
10 – Avelã
11 – Passas de uva da Amareleja
12 – Pinhão de Alcácer do Sal
13 – Noz