Coimbra será a Região Europeia de Gastronomia em 2021. A distinção foi confirmada no início de outubro pelo Instituto Internacional de Gastronomia, Cultura, Arte e Turismo, em Bruxelas, que reconheceu a riqueza ímpar desta região a nível gastronómico. A denominação valoriza a inovação e a interligação da gastronomia com a cultura, o turismo e a economia.

A Comunidade Intermunicipal (CIM) da Região de Coimbra recebeu no início de outubro o título de Região Europeia de Gastronomia 2021, numa cerimónia que salientou as características únicas deste território português. A região, que inclui 19 municípios tão diversos que vão desde a Serra da Estrela até às praias da Figueira da Foz, recebe este título pelo Instituto Internacional de Gastronomia, Cultura, Arte e Turismo. No final de julho o júri já tinha reconhecido que “de facto, havia um compromisso entre a gastronomia e a comunidade, com as confrarias e associações que trabalham neste domínio, e um enquadramento com os vinhos”.

Após a distinção, o presidente da CIM Região de Coimbra, João Ataíde, referiu que este irá permitir maior afirmação e sustentabilidade ao nível gastronómico, económico, social e ambiental, mas também uma “orientação e investimento da qualificação e capacitação da oferta, com base numa linha de comunicação concertada e integradora, que pretende mostrar um território mais harmonizado sem, no entanto, comprometer a sua autenticidade e diversidade”. Um dos objetivos base, segundo João Ataíde, passa por “otimizar o desenvolvimento sustentável do turismo e das atividades económicas aglutinadas a este setor, potenciando e integrando os recursos e estruturas existentes, de uma forma mais organizada e integrada”.

A denominação de Região Europeia da Gastronomia é atribuída anualmente a duas regiões distintas em cada ano e reconhece a inovação e a interligação da gastronomia com a cultura, o turismo e a economia.