No centro histórico de Viseu, o Museu Nacional Grão Vasco reúne um acervo de mais de 15 mil obras, das quais duas mil estão expostas, incluindo 22 tesouros nacionais. Só o pintor Vasco Fernandes tem 19 tesouros nacionais expostos. Ao longo deste ano, o Museu assinala um século de vida.

No edifício do Paço dos Três Escalões, do século XVI, ao lado da Sé Catedral de Viseu, está um local de visita obrigatória para quem passa por esta capital de distrito. Fundado por Francisco de Almeida Moreira a 16 de março de 1916, o Museu Nacional Grão Vasco reúne milhares de obras de arte, com destaque para os 19 tesouros nacionais da autoria do pintor renascentista Vasco Fernandes, conhecido por Grão Vasco, expostos no segundo piso.

No primeiro piso do Museu é possível ver os três únicos tesouros nacionais em exposição que não passaram pelas mãos de Grão Vasco: píxide ou hostiário, uma peça do século XVI em marfim dedicada à natividade e proveniente da Serra Leoa, “Santa Ana e a Virgem”, uma das peças mais significativas da coleção de escultura religiosa existente no museu datada de 1732 e da autoria de Claude Delaprade, e ainda “No meu ateliê”, um autorretrato de Columbano Bordalo Pinheiro de 1884. No segundo piso surge um painel com 14 quadros, as primeiras obras em que Vasco Fernandes teve intervenção, todos classificados como tesouros nacionais. É também neste piso que surge a obra-prima do pintor renascentista, São Pedro. Este tesouro inclui um painel com 2,13 metros de altura e 2,31 de largura onde está representado S. Pedro e três predelas que retratam São João Evangelista e Santo André; São Bartolomeu e São Tomé; São Paulo e São Tiago. Quem visita o Museu Nacional Grão Vasco não deixa também de ver quatro tesouros nacionais retirados das capelas lateiras dos claustros  da Sé de Viseu: crucificação do calvário de Cristo, Batismo de Cristo, Pentecostes e Martírio de São Sebastião.

Entre 2001 e 2003, o Museu foi alvo de um projeto de intervenção da autoria de Eduardo Souto Moura que permitiu a adaptação às exigências de um programa museológico novo. Nos últimos 20 anos, o museu recebeu mais de um milhão de visitantes e este ano assinala o centenário com diversas atividades. Além de uma exposição interativa a explicar a criação do museu, com documentos e fotografias, até 29 de junho estará patente no Centro Cultural de Cascais a exposição “Museu Nacional Grão Vasco: Reservas em Bruto”, com uma seleção de pinturas e esculturas do acervo do museu de Viseu.