Um antigo edifício apalaçado é atualmente a casa de um espaço museológico que alberga as indumentárias típicas algarvias de diversas épocas e situações quotidianas, ilustrando a história e a identidade da região. O Museu do Traje de São Brás de Alportel inclui 18 salas com exposições temporárias que viajam pelos trajes tradicionais do Algarve dos séculos XIX e XX.

Em estilo romântico, datada de final do século XIX, a Casa da Cultura António Bentes é uma antiga habitação burguesa que atualmente serve como Museu do Traje de São Brás de Alportel. Este espaço tem como objetivo preservar e valorizar a cultura da região expondo os trajes tradicionais do Algarve nos séculos XIX e XX, mas também alguma escultura religiosa, veículos tradicionais e instrumentos agrícolas.

Numa área de 5000 metros quadrados as 18 salas do museu apresentam a indumentária usada no Algarve em situações de trabalho ou de cerimónia, ilustrando a história e a identidade desta região. Até ao final do ano esta patente a exposição temporária “As Engrenagens do Tempo”, que se constitui como uma abordagem social das décadas que ladearam o nascimento do concelho de São Brás de Alportel, em 1914, e as suas repercussões até aos nossos dias.

Além de mostrar os trajes característicos algarvios, o museu tem um núcleo etnográfico onde a cortiça – força motriz do desenvolvimento económico e cultural do concelho – tem destaque, abordada nos seus aspetos históricos e patrimoniais. Nos jardins estão expostas duas dezenas de antigos veículos algarvios e as estruturas de uma propriedade agrícola abastada, como o moinho de vento, cisternas, tanques, nora e condutas de rega.

Uma das características deste museu, que tem o custo de dois euros para adultos, é a sua abertura e envolvimento com a população local. Este assume-se como um espaço aberto ao espírito de iniciativa da comunidade e da partilha através dos “Amigos do Museu”.