Life in a bag

Incentivar as pessoas a cultivar os seus próprios alimentos em espaços reduzidos e com materiais reutilizáveis é a ideia que está na origem da Life in a Bag. Ervas aromáticas, microvegetais, frutos, verduras e flores comestíveis são os produtos disponibilizados pela empresa que, desta forma, o convida a ter uma horta em casa.

A ideia de poder cultivar alimentos biológicos num espaço reduzido surgiu a partir de um casal de empreendedores de Vila Nova de Famalicão, Alexandra Silva, designer, e Pedro Veloso, engenheiro informático. Antes de criarem a Life in a Bag, Alexandra e Pedro desenvolveram uma horta no jardim, onde experimentaram diferentes técnicas de cultivo, adquirindo conhecimento e experiência. O passo seguinte foi quando começaram a levar sementeiras e vasos para o interior de casa. Em 2014 criaram a Life in a Bag para que qualquer pessoa, sem conhecimentos específicos ou sem quintal, possa cultivar os seus próprios alimentos.

A empresa disponibiliza todos os produtos necessários para o cultivo de ervas aromáticas, pequenos vegetais, frutas, verduras e flores comestíveis de forma biológica, combinando natureza, design e originalidade. Todas as embalagens têm o seu próprio vaso, argila, terra e instruções detalhadas. Existem sacos para cultivo de ervas aromáticas, como salsa, coentros, manjericão e rúcula – Grow Bag – e caixas para microvegetais, nomeadamente rabanete, brócolos e rúcula – Grow Box. Para o efeito são utilizadas caixas de aço com tampa de cortiça, sacos impermeáveis de papel kaft, substrato e sementes biológicas, garantindo sempre a reutilização dos materiais. Atualmente a Life in a Bag já está representada na Suíça, Alemanha, Bélgica, França, Espanha e Reino Unido.

Em 2015, o projeto foi nomeado pelo Comité Económico e Social Europeu para o European Award for Excellent Design and Sustainability.