Gonçalo Sardinha era engenheiro industrial até decidir mudar-se durante três anos para a Índia, onde descobriu as mais-valias dos superalimentos que deram origem à Iswari. A marca, com pouco mais de oito anos de vida, tem já 51 produtos, é líder de mercado e marca presença em mais de 18 países.

A Iswari nasceu em 2010 e começou com uma produção familiar, mais artesanal, mas o objetivo de Gonçalo sempre foi ter a oportunidade de oferecer aos portugueses uma nova filosofia de vida e um estilo de vida cada vez mais saudável com alimentação mais consciente e cuidada baseada nos micronutrientes presentes nos superalimentos que surgem como base da marca, como é o caso da spirulina ou da erva trigo.

A palavra Iswari significa “deusa” na língua antiga de sânscrito e é esta deusa que norteia e orienta a marca e os seus princípios: Saúde, Sabor e Sabedoria. São estes os valores que caracterizam todas as atividades Iswari, uma marca em perfeita comunhão com a natureza que é a sua maior “fornecedora”, diz Gonçalo, que vai buscar à natureza os produtos orgânicos que usa na produção.

A marca, que começou com um investimento de 50 mil euros, mas que de momento já fatura cerca de 6,5 milhões de euros por ano, tem no total 51 produtos distribuídos em seis categorias principais: Pequenos-Almoços, Produtos Detox, Proteínas Vegetais, Macaccinos, Superalimentos Puros e Barras Energéticas. A gama “Despertar do Buda” é o produto mais vendido e foi o que mais causou impacto no mercado.

Os produtos da marca são aprovados e atestados pela Vegan Society Trademark e são todos orgânicos, não têm ingredientes com origem animal e são isentos de glúten, lactose e açúcares refinados, sendo ainda certificados pela Associação Portuguesa de Celíacos (APC).

Atualmente, segundo os dados disponibilizados pela Iswari, França, Portugal, Espanha e Itália são os países com os maiores números de vendas. Os objetivos da Iswari passam pela conquista dos mercados inglês, alemão e israelita, mas o objetivo e o mercado-alvo são também os países escandinavos e todo o mercado do Médio Oriente.