Com cerca de cinco mil quilómetros quadrados, o Geopark Naturtejo é uma região de paisagens, das mais antigas que existem em Portugal. Este território de conservação, educação, turismo, inovação e desenvolvimento sustentável é o primeiro geoparque português.

O Geopark Naturtejo da Meseta Meridional abrange os concelhos de Castelo Branco, Idanha-a-Nova, Nisa, Oleiros, Proença-a-Nova e Vila Velha de Ródão, numa área de cinco mil quilómetros quadrados entre a Raia, o Pinhal Interior e o Alentejo. Esta região apresenta um vasto património geomorfológico, geológico, paleontológico e geomineiro. Em 2006, o Geopark Naturtejo tornou-se no primeiro geoparque português a integrar a Rede Mundial de Geoparques, criada pela UNESCO em 2004.

O Geopark Naturtejo possui um vasto e rico património, com mais de 170 geossítios, locais de reconhecido interesse geológico, dos quais se destacam 16 geomonumentos, que ilustram as principais etapas de história geológica dos últimos 600 milhões de anos na região, como as Portas de Ródão, as Portas de Almourão, os montes-ilha de Monsanto, a Falha do Ponsul, as Cascatas da Fraga da Água d’Alta e o Parque Icnológico de Penha Garcia. Além do património natural, há também monumentos edificados, igrejas, museus, castelos e aldeias históricas para descobrir.

Os programas turísticos existentes no Geopark desdobram-se nas temáticas natureza, desporto e aventura, história e património e bem-estar e cultura, podendo também ser elaborados pelos visitantes. Um dos percursos mais procurados é a observação das cerca de 154 espécies de aves que frequentam a zona.