A história da Broa de Avintes, um dos tipos de pão com maior tradição em Portugal, remonta ao reinado de D. Dinis. Paulo Sá Machado, confrade da Confraria da Broa de Avintes, conta o que esteve na origem da decisão histórica do rei que levou o fabrico de broa para a freguesia de Avintes.

Qual a origem histórica da Broa de Avintes?

A história da Broa de Avintes diz-nos que foi no reinado de D. Dinis que a mesma nasceu, já que o rei, preocupado com o crescente número de incêndios que existiam no Porto, decidiu que as padarias deviam sair da cidade. Em face desta decisão, para Valongo foram os padeiros que faziam os moletes e regueifas e para Avintes foram os padeiros da broa, uma vez que nesta freguesia se situavam os moinhos próprios para a moagem. Assim, foi dividida a confeção do pão entre “Terras Quentes” e “Terras Frias”.

De que forma pode ser caracterizado o traje identitário da Confraria?

O traje da Confraria da Broa de Avintes é de cor castanha debruada por um castanho mais claro, cor da broa. Também é composto por um chapéu da mesma cor da capa e um colar com uma medalha que representa a broa.