As condições do terreno e o clima conferem à amêndoa do Douro Superior qualidades únicas associadas ao seu sabor e variedade. A Confraria da Amêndoa do Douro Superior visa a promoção, defesa e divulgação deste produto tradicional da região e que recentemente obteve a certificação como IGP por parte da União Europeia. Joaquim Morais, confrade-mor, explica a importância deste produto.

A Confraria da Amêndoa do Douro Superior é uma instituição relativamente recente, tendo sido criada em 2013. Qual a origem da sua criação?
A Confraria da Amêndoa do Douro Superior foi criada a 19 de abril de 2013, tendo como objeto a defesa, o prestígio, a promoção e a divulgação da amêndoa e dos seus derivados. Para tal, a Confraria tem como atribuições o seguinte: organizar, promover e apoiar iniciativas que levem ao melhor conhecimento da amêndoa e dos seus derivados; contribuir, organizar e disponibilizar a utilização de um centro de documentação sobre a amêndoa e a gastronomia, associados às tradições e à história da região do Douro Superior e do nordeste transmontano; promover a edição de publicações na área do seu objeto; instituir prémios e promover concursos na área do seu objeto; promover ações e campanhas de sensibilização e de informação junto da população em geral; promover, organizar e executar iniciativas sustentadas de formação de toda e qualquer natureza; realizar e apoiar a organização de seminários, colóquios, encontros e outras formas de intercâmbio, nacional e internacional; cooperar com instituições locais, regionais e centrais, governamentais e não governamentais, nacionais e internacionais e com personalidades que se ocupem do desenvolvimento local e de questões conexas; elaborar projetos, trabalhos de investigação, estudos de diagnóstico e ações de inovação e avaliação; promover a formação profissional adequada às suas atividades e fins; sugerir, propor ou recomendar aos órgãos públicos competentes medidas para a defesa e o incremento da gastronomia com base na amêndoa; dar a conhecer iniciativas capazes de mobilizar os nordestinos em defesa da cultura tradicional ligada à amêndoa; dar a conhecer à população do país os melhores valores das gentes do nordeste transmontano; promover eventos e espetáculos e, por fim, estabelecer e incentivar a colaboração com confrarias similares, nacionais e internacionais, em particular a União Europeia.

Quais as caraterísticas únicas da amêndoa desta região?
As principais caraterísticas da amêndoa desta região são essencialmente o sabor e a variedade que lhe conferem qualidades únicas e que advêm do clima e das condições do terreno.

Quais as suas potencialidades em termos gastronómicos e económicos?
Em termos gastronómicos as potencialidades são variadas, desde a sua utilização em pastelaria à gastronomia local. Em termos económicos, e sendo o concelho de Torre de Moncorvo o maior produtor a nível nacional, reflete-se na economia do concelho a vários níveis desde a produção à comercialização.

Quais as atividades planeadas pela Confraria no sentido de promover e divulgar a amêndoa do Douro Superior?
No corrente ano, de 24 de março a 1 de abril, decorreu a I Edição da Semana Gastronómica da Doçaria de Amêndoa e da Páscoa, promovida pela Confraria da Amêndoa do Douro Superior com o apoio da Câmara Municipal de Torre de Moncorvo, assim como da Associação dos Comerciantes e Industriais de Moncorvo (ACIM). Aderiram a esta iniciativa praticamente todos os estabelecimentos de restauração, prevendo-se para 2019 idêntica iniciativa atendendo ao sucesso atingido. Durante essa semana foram servidos vários doces confecionadas com amêndoa, nomeadamente, molotof de amêndoa, requeijão com doce e amêndoa, tarte de amêndoa, pudim de amêndoa, folhado de amêndoa e vários tipos de bolos com amêndoa.

A Amêndoa Coberta de Moncorvo obteve a certificação IGP no início deste ano. Qual a sua importância para a defesa deste produto tradicional?
A Comissão Europeia acrescentou a Amêndoa Coberta de Moncorvo à lista dos produtos com Indicação Geográfica Protegida (IGP), sendo assim o 139º produto nacional a merecer proteção da União Europeia (UE). A Amêndoa Coberta, um dos ex-libris de Torre de Moncorvo, possui certificação oficial regulamentada pela União Europeia que identifica um produto originário de um determinado local ou região, que possui uma determinada qualidade, reputação ou outras características que podem ser essencialmente atribuídas à sua origem geográfica. Sendo Torre de Moncorvo o maior produtor de amêndoa do país e sendo a amêndoa coberta uma das imagens de marca do concelho tornou-se imperativo a certificação deste doce típico, tendo em conta que a sua confeção tem muitas características que muitos vendedores não tinham em consideração. Com a certificação pretende-se proteger e valorizar o produto, reforçando a sua imagem, aumentar a credibilidade no mercado e junto do público em geral, aumentar a satisfação dos clientes, aumentar a competitividade com a diferenciação através da qualidade, facilitar o acesso a novos mercados e evidenciar o cumprimento de requisitos regulamentares.