Lançado pela Odiana, Associação para o Desenvolvimento do Baixo Guadiana que agrega Alcoutim, Castro Marim e Vila Real de Santo António, o Choose our Food é um projeto que visa a criação de uma rede de cooperação que permita divulgar os produtos agroalimentares da região. Valter Matias, diretor da associação, revela as potencialidades desta gastronomia e os desafios do projeto.

O Choose our Food pretende maximizar os produtos agroalimentares regionais e reforçar a cooperação empresarial no território. Como se aperceberam da necessidade de criar este projeto?
O património agroalimentar do Baixo Guadiana algarvio é de uma riqueza inigualável, resultado de influências culturais diversas e das condições climatéricas ideais. Temos produtos de excelência, mas averiguámos que a maioria era subexplorado pelos grandes motores da indústria turística, como as unidades hoteleiras e a restauração. Apercebemo-nos, e confirmámos posteriormente, através de sessões, questionários e um diagnóstico agroalimentar que apesar da excelência de produtos, estes às vezes são mais facilmente exportados do que vendidos nos espaços comerciais do território. Verificámos que as unidades hoteleiras consomem produtos externos e manifestam certos constrangimentos na aquisição dos locais, seja pelo transporte, armazenamento ou encomenda. Não obstante, concluímos que este «não uso» estava também ligado à grande proliferação de cadeias de hipermercados com extensa gama de produtos associadas que, seja pelo baixo custo ou pela centralização das compras num só local, acaba por tornar os produtos tradicionais menos competitivos. Todos estes fatores levaram ao surgimento do projeto «Choose our Food». Temos produtos tão característicos e, sendo a nossa missão o desenvolvimento sustentável do território, decidimos avançar com uma candidatura que, a par de qualificar e valorizar/promover estes recursos identitários, alavancasse uma cooperação com o setor agroalimentar para uma maior dinamização local e turística de produtos e que instigasse a sua competitividade. Ou seja, para afirmar os produtos teríamos que criar sinergias e reforçar a cooperação empresarial, entenda-se: mercados locais/restaurantes/unidades hoteleiras de forma a incentivar ao uso dos produtos que nos distinguem e que são aqueles que os visitantes procuram. Queremos que produtores apresentem os seus produtos e encetem relações comerciais com os restaurantes. Queremos que as unidades hoteleiras tenham consciência da diferenciação e que consumam os produtos distintivos do território. Queremos que os residentes e visitantes descubram os produtos, onde comprá-los e onde saborear as receitas típicas e genuínas. Queremos iniciar conversas, parcerias e transpor tudo isto para uma rede de cooperação, para que quem nos visita tenha uma experiência gastronómica de excelência e que a partilhe para que mais venham.