Adega Cooperativa de Sabrosa

Sob a marca Fernão de Magalhães, circum-navegador nascido em Sabrosa, a Adega Cooperativa do concelho comercializa vinhos desde 1959. José Gouveia, presidente da Adega Cooperativa de Sabrosa, explica quais as características dos vinhos e a importância da figura de Fernão de Magalhães.

Quais as características dos vinhos produzidos na Adega Cooperativa de Sabrosa?

Produzimos vinhos DOC Douro, vinhos regionais, vinhos de mesa, espumantes, moscatel e vinhos do Porto. O ano de 2015 foi um bom ano para a nossa produção, ao contrário de 2014. A colheita de 2014 sofreu muito com a chuva e as uvas ficaram num mau estado sanitário, o que se veio a traduzir na qualidade dos vinhos. Em 2015, o ano foi bastante seco e isso favoreceu a quantidade e a qualidade dos vinhos que produzimos na Adega. Em média produzimos 3500 pipas de vinho. Este vinho é essencialmente absorvido pelo mercado nacional, mas também já exportamos para países como França, Espanha, Angola, Canadá, China, entre outros.

A Adega optou por colocar o nome de Fernão de Magalhães em quase todos os seus vinhos. O que esteve na origem desta decisão e de que forma é que a figura de Fernão de Magalhães reflete as características dos vinhos?

Sendo Fernão de Magalhães natural de Sabrosa, recentemente houve uma aposta forte da autarquia em associar a figura de Fernão de Magalhães ao município. Sentimos que a internacionalização é uma parte cada vez mais importante do nosso trabalho. Fernão de Magalhães é uma figura histórica reconhecida mundialmente, principalmente nos países por onde passou, durante a primeira viagem de circum-navegação. Recentemente o município associou-se à Rede Mundial de Cidades Magalhães e o vinho Porto 10 Anos Fernão de Magalhães da Adega de Sabrosa foi eleito a bebida oficial da Rede, sendo utilizado em eventos, comemorações e encontros oficiais. Consideramos que o nome de Fernão de Magalhães é uma boa bandeira para os vinhos de Sabrosa.

Quais os projetos futuros da Adega Cooperativa de Sabrosa?

A nossa grande ambição é crescer em termos internacionais. Apenas quatro a cinco por cento da nossa produção é exportada e queremos aumentar este valor a médio e longo prazo, sobretudo com os vinhos do Porto e os DOC Douro. A nível interno, o objetivo é desenvolvermos a Adega Cooperativa em termos de modernização, inovação, mecanização e tornarmos a Adega Cooperativa de Sabrosa também um local possível de visitar em termos turísticos (espaço de enoturismo), abrindo assim as nossas portas a quem queira saber um pouco mais sobre os nossos vinhos e sobre esta fantástica região que é o Douro.